Uso da Internet no Brasil

Publicado: 17 Aug 2015

Última Atualização: 17 Aug 2015

O modo como os brasileiros utilizam a internet mudou significativamente nos últimos anos, tanto na forma em que ela é acessada quanto qual conteúdo é normalmente buscado. Nesse artigo vamos pontuar a situação atual do uso da internet no Brasil.

Acesso à Internet

Historicamente, os brasileiros são conhecidos por acessarem a internet, em sua maioria, fora de casa, como nos locais de trabalho ou na casa de amigos. As lan houses, por exemplo, tornaram-se um símbolo do acesso à internet no Brasil, principalmente porque seu mercado permanecia ativo no país mesmo quando já não era uma tendência em outras partes do mundo.

O cenário mudou profundamente nos últimos anos devido a mudanças em duas frentes. Primeiramente, os preços de computadores e notebooks diminuíram exponencialmente no Brasil, permitindo que classes sociais emergentes adquirissem tais dispositivos em casa. Além disso, políticas governamentais voltadas para a inclusão digital, como o Programa Nacional de Banda Larga, reduziram o custo da conexão banda larga nas casas e todas as regiões do país, incentivando que famílias anteriormente sem acesso pudessem adquirir seu primeiro plano de internet.

Dados de 2013 pelo CGI, Comitê Gestor da Internet, mostra que 53% dos domicílios em regiões urbanas do país possuem computadores, sendo que 48% possuem conexão a internet. As regiões rurais do país, onde se encontra uma parcela significante da população, apresenta quantidades mais reduzidas com apenas 21% dos domicílios com computadores e 15% com acesso à internet.

O segundo ponto, e provavelmente o mais importante, está relacionado à expansão de dispositivos com conexão móvel no Brasil. Os últimos anos tem apresentado um número extraordinário de vendas de dispositivos móveis, em sua maioria devido ao lançamento de smartphones de baixo custo e tablets, além da redução do custo destes devido a políticas governamentais como a Lei do Bem.

Acesso à Internet Móvel

Segundo pesquisa da IDC Brasil, em 2014 foram vendidos em torno de 54,2 milhões de smartphones, uma alta de 55% em relação ao ano anterior. Com a rápida expansão de redes móveis para diversas regiões do país e o aumento substancial em seu uso, os usuários brasileiros de internet vivem uma mobilidade conectada e não estão mais restritos a locais específicos para acessar a rede.

Tanto pelo aumento de domicílios quanto pelo de conexões móveis, o acesso à internet no Brasil se tornou mais abrangente. Dados da Anatel mostram que no início de 2015 o país contava com 24,2 milhões de conexões de banda larga fixa e mais de 157,9 milhões de acessos móveis, que possuem predominantemente planos de internet 3G, com a tecnologia WCDMA.

Uma pesquisa recente da E.Life afirma de que 90% dos usuários brasileiros de internet acessam a rede em casa, onde 60% consideravam ser o local principal para navegar. A mesma pesquisa ainda aponta que 53% dos usuários estão conectados via dispositivos móveis e 50% tinham acesso em seus locais de trabalho, onde 23% consideravam ser o local principal de acesso. Lan houses foram utilizadas por apenas 6% dos entrevistados.

Navegação na Rede

Pesquisa da ComScore do Q1/2014 coloca o Brasil em terceiro lugar na lista de países onde usuários passam mais tempo conectados à internet. De acordo os dados levantados, os usuários no país gastam em torno de 30 horas online por mês, enquanto a média global é de 22,7 horas por mês.

A atividade na qual os usuários passam a maior parte do tempo também foi tema da abordado na pesquisa, mostrando que as redes sociais estão disparadas em primeiro lugar, seguida por outros interesses, como entretenimento, acesso à notícias e serviços.

Redes Sociais

Os brasileiros são, de fato, totalmente atraídos por redes sociais como pesquisas recentes sugerem. O tempo médio gasto nesse tipo de site por usuários brasileiros foi praticamente o dobro da média global.

O tempo gasto apenas no Facebook foi maior do que o tempo mensal gasto online por usuários de países como México e Argentina. O Facebook mostrou ser uma força dominante no mercado brasileiro, ocupando 83% do tempo gasto online, seguido de outras redes sociais como Youtube e Twitter.

Portais e Informação

Outras categorias também receberam uma parcela significante de tempo gasto online entre os usuários do país. Os portais de conteúdo, uma preferência histórica da audiência online, mostrou um alcance de 95%, equivalente a quase metade do tempo do gasto em redes sociais.

Os maiores portais no Brasil oferecem acesso a conteúdos de uma variedade de categorias, muitos dos quais são considerados os mais interessantes para a audiência do país, como notícias e entretenimento. Páginas de notícias e informações sozinhas alcançam aproximadamente 70% da audiência online no Brasil.

Serviços

A categoria de serviços, que inclui internet banking, atividades relacionadas ao governo e redes de empregos, receberam uma parcela similar de tempo gasto online. A recente expansão da internet para todas as classes sociais do país, combinadas com o desenvolvimento de serviços bancários online e serviços governamentais, transformaram essa categoria em uma das mais buscadas pela audiência do país, sendo uma das partes mais importantes do estilo de vida online do brasileiro.

Conteúdo de Entretenimento

Os sites de conteúdo mais buscados por usuários estão relacionados a categorias como tecnologia, jogos, esportes e viagem. Sites de conteúdo automotivo mostraram acessos mais baixos do que a média global.

O Youtube é o líder no consumo de vídeo online no Brasil, somando mais de 62 milhões de espectadores por mês, seguido pelo Facebook com 39 milhões de espectadores por mês.

Educação

Uma inclusão pouco esperada nessa lista é a categoria de educação, que é a quarta colocada entre os sites de maior alcance no país.

A popularidade dessa categoria é mais provavelmente relacionada a tendência recente para cursos de educação à distância no país, um setor que vem se expandindo significativamente nos últimos anos. Dados recentes mostram que existem aproximadamente 6 milhões de matrículas nesse gênero de curso no Brasil.

A maioria dos cursos a distância no Brasil são transmitidos através de feed de vídeos, que em alguns casos dão a capacidade de interação entre aluno e professor. Cursos online gratuitos, ou MOOC’s, também começaram a se desenvolver no país.

Conteúdo Adulto

Uma categoria não contemplada pela pesquisa, contudo certamente relevante para a audiência online no país, é a de conteúdo adulto. Dados de maio de 2014 da Experian mostram que tais websites representam em torno de 4,2% do total de páginas visitadas no país. Esses números podem ser uma indício na redução no interesse por esse tipo de conteúdo no país, considerando que a categoria possuía um total de 5,2% em janeiro de 2012.

Apostas Online

Outro aspecto interessante no uso da internet pelos brasileiros se refere ao mercado de apostas online. De acordo com dados da Global Betting e Gaming Consultants, o Brasil é o 23º país no mundo com maior tempo gasto online em apostas. Essa pesquisa mostra que R$ 1,8 bilhões foram gastos em portais estrangeiros de apostas no ano de 2013, em sua maioria relacionados a apostas em esportes, poquer e casinos.

Sites de esportes fantasia também começam a se desenvolver no país e devem se tornar uma tendência em um futuro próximo, considerando que apostas online de esportes foram legalizadas recentemente no Brasil, enquanto outras formas de apostas permanecem ilegais.

Hábitos de Comércio Online

A pesquisa da Comscore também faz observações relevantes sobre o comércio online no Brasil, um mercado que fatura aproximadamente R$ 28 milhões por ano de acordo com dados recentes.

Produtos Mais Buscados

Dados mostram que eletrônicos de consumo e lojas de departamento são as categorias de produtos mais buscadas pelos usuários, seguidos por equipamentos e aparelhos esportivos. Livros, hardware de computadores e cosméticos também foram frequentemente buscados por uma parcela significante de consumidores online.

Pesquisa do provedor de inteligência em e-commerce, E-bit, indica que a maioria das compras online no Brasil vieram de categorias como moda/acessórios e cosméticos/cuidados pessoais.

Plataformas de Revenda e Serviços

A maior página para compras online no Brasil é a Mercado Livre, conforme apontou a pesquisa. O recurso de comparação de preços também mostrou ser uma tendência popular entre os usuários, com o Buscapé ocupando o terceiro lugar na lista.

Métodos de Pagamento

Dados da Fecomercio, Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo, indica que cartões de crédito são o método de pagamento mais utilizado por compradores online, representando 57,4% das compras parceladas e 24,2% de compras à vista. O Boleto Bancário é utilizado por 13,9% dos usuários, enquanto 2,5% utilizaram plataformas de pagamento, e 2% compraram a partir de transferências bancárias ou cartões de débito.

Uso de Internet Móvel

Pesquisa realizada pela empresa de consultoria Nielsen, durante agosto de 2014 revelou resultados interessantes sobre o uso da internet em dispositivos móveis no Brasil.

Redes Sociais e Aplicativos

De acordo com a pesquisa, redes sociais e aplicativos são utilizados pela maioria dos usuários de smartphone no Brasil. Dados indicam que 82% dos dispositivos móveis foram usados para acessar redes sociais e 77% para e-mails. O Facebook e WhatsApp são os aplicativos de redes sociais mais comuns, encontrados em aproximadamente 75% e 65% de dispositivos móveis, respectivamente.

A afinidade de usuários brasileiros com relação a redes sociais também levou algumas operadoras de celular, como a Claro, a oferecerem acesso gratuito dentro da franquia contratada ao Facebook e Twitter. A operadora móvel TIM foi a primeira a introduzir o modelo gratuito para redes sociais.

Jogos Mobile

Dados sobre os jogos mobile mostram que a maioria dos jogos populares nos mercados estrangeiros também são expressivos no Brasil. Títulos como o Candy Crush Saga, Angry Birds e Fruit Ninja são normalmente encontrados nos dispositivos móveis.

Buscas pela Internet

A maioria das buscas pela internet realizadas através de dispositivos móveis, de acordo com o relatório, foram relacionadas a notícias, localização, música e lazer. Comparação de preços e compras coletivas também foram temas relevantes para os usuários.

Mobile Shopping

Dados da pesquisa indicam que a categoria de mobile shopping está em ascensão no país, representando aproximadamente 5% de todas as transações no Brasil.

Um dos usos mais comuns pelos usuários com dispositivos móveis é a comparação de preço. Aproximadamente 60% dos usuários entrevistados disseram ter comparado preços antes de realizar compras.

Música

Um fato interessante revelado pela pesquisa refere ao consumo de música através de dispositivos móveis no Brasil. Os dados indicam que aplicativos de música online, sites ou canais são utilizados por 40% dos usuários, o que representa um crescimento em relação a períodos anteriores, e que música armazenada offline está decrescendo entre uma parcela dos mesmos usuários, atualmente em 60%.

Compra de Aplicativos

Uma pesquisa do E.Life indica que usuários brasileiros de dispositivos móveis tendem a não gastar significativamente em aplicativos. De todos os usuários da pesquisa, apenas 24% gastam mais de R$ 10 por mês em aplicativos e em torno de 53% dizem gastar nada. O download de aplicativos gratuitos é certamente uma tendência no país, de acordo com dados da empresa de marketing móvel Jampp, somando uma média de 14,3 aplicativos por aparelho. Já os pagos são encontrados em uma média de 2,5 por aparelho.

Obtenha Auxílio em Entretenimento agora

O Tech in Brazil possui ótimos parceiros que podem te prestar auxílio. Preenchendo o formulário abaixo você receberá uma recomendação por e-mail de uma empresa que poderá melhor te atender. Este serviço é gratuito para leitores do Tech in Brazil.


Autor do Artigo

Marcelo Teixeira

Marcelo Teixeira