Tom

Tecnologias de Banda Larga no Brasil

Publicado: 21 Jul 2015

Última Atualização: 21 Jul 2015

O número de conexões por banda larga cresceu significativamente no Brasil nos últimos anos, com a introdução de novas tecnologias e planos mais acessíveis. Nesse artigo vamos descrever quais são as tecnologias de conexão por banda larga no Brasil e qual é a regulamentação para esse setor.

Conexões de Internet no Brasil

Desde as primeiras ondas de adoção no início da década de 1990, conexões de internet levaram um tempo até se popularizarem de fato no Brasil. Até recentemente, serviços de conexão de internet eram caros e de qualidade questionável, dado que a infraestrutura do país era pouco desenvolvida e a regulamentação do setor permitia práticas abusivas por parte dos provedores.

Nos últimos anos o Brasil assistiu a uma expansão massiva do backbone de internet, parcialmente relacionada com o Programa Nacional de Banda Larga do governo e aliada a políticas para oferecer acessos por banda larga de qualidade e de baixo custos para a população. Essas medidas levaram a um grande aumento no número de acessos, uma redução geral nos preços de planos de conexões e um notável aumento na média de velocidade contratada.

Atualmente, conexões de banda larga são encontradas em mais de 37% dos domicílios brasileiros, com expansões previstas para o futuro próximo. Segundo dados de 2015 da empresa Akamai, a média de velocidade de conexões no Brasil é de 3,4 Mbps, um número relacionado às conexões de baixo custo que são amplamente adotadas no país.

Regulamentação de velocidade mínima de conexões

Em um esforço para aprimorar a qualidade de conexões de banda larga e garantir direitos dos consumidores, a Anatel instituiu regulamentação referente às velocidades mínimas de conexões entregues por provedores de internet no Brasil.

Até 2012, era uma prática comum para provedores de internet no Brasil entregar cerca de 10% da velocidade de conexão anunciada em seus planos. Naquele ano, a Anatel divulgou novas diretrizes que não permitiriam que provedores de internet entregassem menos de 20% da velocidade anunciada a qualquer momento de teste, nem menos de 60% da velocidade total avaliada por mês. Esse limite foi elevado com o passar dos anos, e atualmente requer um mínimo de 40% de velocidades medidas a qualquer momento e 80% da velocidade total availada por mês.

Segundo um relatório da Proteste de março de 2015, com base em testes realizados nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, apenas 27% das conexões de banda larga atendem à regulamentação de velocidade mínima de conexões.

Tecnologias de Banda Larga

Conexões de Banda Larga no Brasil utilizam de múltiplos tipos de tecnologias para atingirem usuários finais, algumas das quais são utilizadas por uma fração mínima da população. ATM, MMDS, Frame Relay, WIMAX and HFC, por exemplo, são algumas das tecnologias de conexão atualmente em uso no Brasil e cujos usuários somados representam menos de 2% dos acessos de banda larga do país.

Entre as tecnologias mais utilizadas para conexões de banda larga no Brasil estão:

xDSL

Diferentes tipos de conexões DSL são encontrados em mais de 55% dos domicílios brasileiros com conexões de banda larga. A adoção massiva dessa tecnologia está relacionada ao baixo custo e facilidade de instalação, sendo que a fiação é compartilhada com serviços de telefonia.

A tecnologia DSL também é utilizada para a distribuição de acessos de banda larga em edifícios antigos onde a fibra óptica alcança os prédios, mas há dificuldades para realizar a distribuição nos cabos de fibra internamente.

Modem a Cabo

Utilizados em mais de 30% das conexões de internet no Brasil, o modem de cabo é uma das tecnologias de banda larga mais populares do país. A infraestrutura compartilhada com a TV a cabo permite que esse tipo de conexão seja oferecida em pacotes juntamente com a TV por assinatura, uma oferta de grande apelo para consumidores brasileiros. Ainda que essa tecnologia não seja recente, sua taxa de utilização cresceu marginalmente país nos últimos anos.

Spread Spectrum

Conexões com a tecnologia Spread Spectrum, de transmissão de dados via ondas de rádio, é utilizada em cerca de 5% dos acessos de banda larga no Brasil. Um fator importante para sua utilização é a possibilidade de atingir áreas de difícil acesso, além de implementar uma estrutura de conexão viável para cidades distantes dos grandes centros urbanos. Ainda que a qualidade das conexões seja questionável, essa tecnologia se manteve presente no Brasil nos últimos anos.

Novas Tecnologias em Expansão

Algumas tecnologias recentemente adotadas no Brasil oferecem melhores velocidades e alcance se comparadas aos métodos mais antigos de conexão, ainda que sua utilização por consumidores, mesmo em expansão, possa ser considerada mínima. São elas:

FTTH

Acessos de última milha por fibra-óptica foram introduzidos ao Brasil nos últimos anos e atualmente são utilizadas por uma fatia de 4,4% das conexões do país. Devido ao desenvolvimento e instalação gradual dessa nova infraestrutura, essas conexões de alta velocidade são atualmente somente oferecidas em grandes centros urbanos e municípios seletos do país.

LTE

Desde a implementação de conexões móveis 4G LTE no Brasil em 2012, modems de conexão móvel e ultra rápida têm sido oferecidos por provedores de internet como meio de entregar conexões de alta qualidade para lugares de dificil acesso. Com um número pequeno de regiões atendidas e de empresas que oferecem conexões com essa tecnologia, modems LTE são utilizados em somente 0.9% dos acessos de banda larga no Brasil.

Obtenha Auxílio em Mobile e Telecom agora

O Tech in Brazil possui ótimos parceiros que podem te prestar auxílio. Preenchendo o formulário abaixo você receberá uma recomendação por e-mail de uma empresa que poderá melhor te atender. Este serviço é gratuito para leitores do Tech in Brazil.


Autor do Artigo

Marcelo Teixeira

Marcelo Teixeira