5 usos de Whatsapp para negócios no Brasil

Publicado: 1 Jun 2015

Última Atualização: 1 Jun 2015

O aplicativo Whatsapp rapidamente se tornou um fenômeno no Brasil, não apenas pela sua crescente base de usuários mas também por ser utilizado de maneira inovadora para fins corporativos no país. Nesse artigo vamos listar como empresas brasileiras fazem uso de Whatsapp para negócios.

Whatsapp no Brasil

O crescimento na venda de smartphones e outros dispositivos móveis no Brasil levou a uma rápida e massiva adoção de aplicativos de comunicação. O Whatsapp, um dos aplicativos mais baixados no mundo, apresenta altas taxas de crescimento no país e estudos recentes da empresa de pesquisa de mercado Nielsen indicam que aproximadamente 70% de usuários de smartphones brasileiros se comunicam ativamente através deste aplicativo.

Funções como a criação de grupos e o compartilhamento de imagens, vídeos e áudios, combinadas com a facilidade de uso contribuíram para a adoção massiva do aplicativo Whatsapp por usuários brasileiros. Como consequência, empresas e órgãos públicos têm visto o aplicativo como um canal de fácil acesso, rápido e pessoal para atingir seu público.

Exemplos de Uso do Whatsapp para Negócios no Brasil

Empresas brasileiras têm adotado o Whatsapp como meio alternativo de relações públicas e institucionais e até mesmo em iniciativas pioneiras de aprimorar suas estratégias de comunicação.

Campanhas de Publicidade

Um dos usos mais interessantes do WhatsApp por parte de empresas brasileiras é a personalização de campanhas publicitárias para consumidores. Por oferecer um canal direto e de duas vias para interagir com seu público alvo, essas campanhas promovem um engajamento maior e maneiras inovadoras de cumprir seus objetivos de divulgação. Alguns exemplos de campanha incluem:

  • A fabricante de chocolate Lacta, e a agência de publicidade W3haus lançaram uma campanha de marketing para a marca de bombons Sonho de Valsa durante o Dia dos Namorados de 2013, na qual usuários poderiam contatar um número por meio do Whatsapp e poderiam pedir sugestões de lugares para realizarem encontros, além de receberem itens customizados, como montagens de fotos e papéis de parede
  • Em 2014, a empresa de produtos de consumo Procter & Gamble promoveu sua linha de shampoos Head & Shoulders por meio de videos curtos distribuídos por WhatsApp nos quais o técnico de futebol Joel Santana era apresentado utilizando o produto
  • A marca de maionese Hellmann’s, da Univeler, foi divulgada por uma campanha publicitária promovida por WhatsApp em maio de 2014 na qual usuários poderiam pedir sugestões de receitas e tirar dúvidas sobre o modo de preparo
  • A loja de livros PanaPaná, em associação com a ONG Casa da Criança Santo Amaro e a agência de publicidade Mood lançaram uma campanha em maio de 2014 na qual leitores adultos de livros poderiam ler histórias em voz alta para que seu áudio fosse transmitido através de WhatsApp para crianças órfãs auxiliadas pela ONG
  • Em junho de 2014, a agência de publicidade Fbiz e a empresa Pernord Richard Brasil, detentora da marca de uísque Chivas Regal, promoveram a bebida por meio de uma campanha por Whatsapp na qual usuários poderiam trocar mensagens de flerte customizadas através de um barman virtual

Marketing, Vendas e Atendimento ao Consumidor

Comerciantes brasileiros têm utilizado o WhatsApp como um meio de contato personalizado para seus consumidores, com tipos de interação que incluem ofertas e sugestões de produtos, recebimento de opiniões sobre produtos comprados e para atendimento pós-compra.

Uma pesquisa recente do Sebrae sobre empresas de e-commerce brasileiras aponta que 18% delas utilizam o WhatsApp para atendimento ao consumidor. A loja virtual de suplementos alimentares Centralfit usa o aplicativo como canal para que consumidores verifiquem as doses corretas de consumo de seus produtos e tirem dúvidas sobre sua aplicação.

Existem também casos de sucesso entre pequeno e micro empresas que fazem uso do WhatsApp para oferecer ofertas e promoções personalizadas. Donos de loja alegam que a relação mais próxima com consumidores leva ao aumento de vendas e engajamento maior com seu público. Imobiliárias, como a empresa paulistana Lopes, utilizam o aplicativo para entrar em contato com possíveis compradores, e enviar imagens e informações detalhadas sobre os imóveis em oferta.

Comunicação Interna

O Whatsapp é utilizado como uma poderosa ferramenta de comunicação interna por empresas brasileiras. A criação de grupos de conversa, similares aos grupos de troca de emails, porém com a simplicidade e agilidade do aplicativo móvel, tornaram-no uma opção atrativa para donos de empresas e funcionários realizarem troca de informações.

CEOs de empresas como Easy Taxi e a produtora de mídia digital Safari relataram que o uso de Whatsapp aumentou a velocidade com a qual mensagens eram comunicadas e que o aplicativo se tornou indispensável para sua estratégia de comunicação.

Contribuições de Notícias

Muitos jornais passaram a utilizar o WhatsApp como canal para receberem contribuições de seus leitores. Imagens, áudios e videos enviados pelo aplicativo já fizeram parte de pautas publicadas em jornais impressos, TV e internet.

A lista de jornais que recebem contribuições de notícias por WhatsApp inclui:

  • Folha de São Paulo
  • Jornal da Record News
  • O Dia
  • Extra
  • Jornal de Brasília
  • Correio Brasiliense
  • Diário de Pernambuco
  • Diário Catarinense

Entregas e Serviços

Há também casos de empresas que utilizam o WhatsApp como via alternativa para solicitação e agendamento de entregas e serviços. A maior parte se resume a pequenas iniciativas que fazem uso do aplicativo como meio pioneiro de atingir consumidores, como por exemplo:

  • Entrega de pizzas, lanches e bebidas
  • Taxis
  • Hotéis
  • Oficinas de automóveis
  • Massagens
  • Aulas

Obtenha Auxílio em Mobile e Telecom agora

O Tech in Brazil possui ótimos parceiros que podem te prestar auxílio. Preenchendo o formulário abaixo você receberá uma recomendação por e-mail de uma empresa que poderá melhor te atender. Este serviço é gratuito para leitores do Tech in Brazil.


Autor do Artigo

Marcelo Teixeira

Marcelo Teixeira