Vale da Eletrônica Brasileiro

Publicado: 12 Aug 2015

Última Atualização: 12 Aug 2015

Antes uma importante produtor de produtos agrícolas, a cidade de Santa Rita do Sapucaí é atualmente um dos principais centros da indústria eletrônica no Brasil. Nesse artigo vamos apresentar uma breve histórico da região e discutir o papel representado por essa cidade na indústria brasileira de tecnologia.

Visão Geral

Localizada no sul do estado de Minas Gerais, a cidade de Santa Rita do Sapucaí é conhecida como o Vale da Eletrônica, contendo algumas das empresas mais importantes do país no setor, algumas das quais trouxeram diversas inovações para o mercado brasileiro de tecnologia. A cidade atualmente possui 40 mil habitantes e está localizada estrategicamente próxima de três das capitais mais importantes do país.

O primeiro empreendimento voltado à tecnologia na região iniciou-se em 1959, quando uma cidadã local chamada Luzia Rennó Moreira, também conhecida como Sinhá Moreira, criou o primeiro instituto de ensino técnico de eletrônica na América Latina. Seis anos depois o Inatel, Instituto Nacional de Telecomunicações, foi criado de forma a fornecer ensino superior e realizar pesquisas relacionadas ao setor. Em 1971, o FAI, Centro de Ensino Superior em Gestão, Tecnologia e Educação, foi criado para seguir o ciclo de inovação que transformava a cidade na época. Todas essas instituições ainda operam na cidade e estão alavancando o desenvolvimento da região, diminuindo a dependência de profissionais vindo de outras cidades.

Santa Rita do Sapucaí é atualmente sede de 153 empresas, responsáveis por 14 mil empregados locais e de cidades vizinhas. A cidade apresenta uma forte cultura voltada para o empreendedorismo, que é incentivado muito cedo nas escolas, resultado na criação de diversos projetos incubados todos os anos. A indústria local teve lucro de R$ 3 bilhões em 2014, gerado pelos produtos fabricados para diversos segmentos da indústria de tecnologia. As empresas exportam seus produtos para mais de 40 países pelo mundo.

As empresas que operam na região são dos seguintes setores da indústria:

  • Telecomunicações
  • Segurança
  • Eletrônicos
  • Informática
  • Radiofusão
  • Eletrodomésticos

Existem alguns incentivos dados pelo governo estadual e municipal de forma a atrair empresas e investimentos para a cidade, e ainda há outros tipos para novos empreendimentos na região. Note que os últimos dois benefícios não estão mais disponíveis:

  • Serviços de infraestrutura para construir a sede da empresa
  • Doação de terreno para construção
  • Desconto em impostos municipais
  • Descontos de até 70% no valor do aluguel para galpões industriais

É estimado que em torno de 14 mil produtos fabricados na região sejam distribuídos pelo país e mercados internacionais. A cidade foi responsável pelo desenvolvimento de tecnologias importantes como a urna eletrônica, o chip para o passaporte eletrônico e os transmissores para o Sistema Brasileiro de TV Digital.

O Futuro da Indústria Tecnológica no Vale

A atual crise econômica está levando as empresas que operam no Vale da Eletrônica por um período de reduções nos investimentos e gastos. O Sindvel, sindicato que administra empresas na região, estima uma queda de 30% na receita em 2015 comparado aos resultados do ano passado. As empresas com menor capital de giro tendem a sofrer maior impacto com a instabilidade no mercado. Mesmo com a crise, o Vale da Eletrônica será capaz de crescer 500% nos próximos três anos se os investimentos continuarem, de acordo com pesquisa do Sindvel.

Investidores estrangeiros já estão interessados no potencial que as empresas do Vale podem oferecer. Cinco das maiores empresas já estão sendo negociadas para venda, e essa tendência deve seguir nos próximos anos. Especialistas apontam que a região do Vale da Eletrônica necessita de amplos investimentos a fim de continuar a receber as quase 15 novas empresas que iniciam suas operações a cada ano, mantendo a competitividade com as existentes no mercado.

Outra região importante no Brasil para a fabricação de eletrônicos está atraindo diversas dessas empresas: o PIM, Pólo Industrial de Manaus. O fim de incentivos fiscais anteriormente concedidos por Santa Rita do Sapucaí deve fazer com que empresas se mudem para o PIM. A região do PIM já está consolidada com infraestrutura operacional e oferece incentivos atrativos para empresas.

Essa transferência deve gerar mais competição no mercado global, uma vez que nem todas as empresas no Vale da eletrônica possuem benefícios nos processos básicos de produção, e o preço dos produtos podem se tornar tão competitivos quanto no passado. Mudar para o PIM representaria uma diferença de até 50% no preço final do produto para essas empresas devido à redução de impostos. O Sindvel espera que 40 empresas migrem para o PIM nos próximos anos e cinco já estão em operação na região desde 2007.

Obtenha Auxílio em Eletrônicos agora

O Tech in Brazil possui ótimos parceiros que podem te prestar auxílio. Preenchendo o formulário abaixo você receberá uma recomendação por e-mail de uma empresa que poderá melhor te atender. Este serviço é gratuito para leitores do Tech in Brazil.


Autor do Artigo

Lucas Boechat

Lucas Boechat